Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

maschamba



Quarta-feira, 07.03.12

No rasto da Irina*

[caption id="attachment_33604" align="aligncenter" width="737" caption="Eu e o Monico nas ruas de Maputo"][/caption] Fui passear os olhos pela cidade – da Costa do Sol aos cabarets da Rua Bagamoyo. E então?, perguntam-me, Que tal? Fico meia sem-jeito, sem saber realmente o que dizer. Tudo é novo e tudo me é familiar. Imutável só mesmo o sentido de pertença que me une à cidade. Apesar da mudança e da novidade.Desapareceram casas onde um dia sonhei morar, dando lugar a outras mais a par com os tempos; os jardins estão mais bonitos e arranjados; há esplanadas novas e cheias de gente; as ruas prenhas de bulício e de vida. Chorei o Mercado Central; fui ao Polana comer uma Lily e encerrar uma época; ainda vi algumas acácias em flor e comi as últimas mangas da estação. Está bonita a cidade de cimento.A maior novidade para mim  são as tschopelas, que eu adoro e uso sempre que posso. O Toni ou o Mónico conduzem-me pela cidade, falam-me da vida que levam, dos sonhos que descartam ou acendem. Saúdam-me com um sorriso e despedem-se com um “estamos juntos!” costumeiro mas nem por isso menos bonito.

AL* tempestade tropical e futura nora da D Dolores; dois em um "pertantes"

Autoria e outros dados (tags, etc)

por AL às 00:04

Sábado, 03.03.12

Re(bem)vinda

Voltei a casa, ainda que esta casa não seja minha.  Não deixa por isso de me receber de braços abertos e de me embalar na baía vigiada pelas acácias. Invade-me uma alegria que nem a saudade de quem ficou longe consegue ensombrar. Estou há dois dias em Maputo e que bom que é voltar a casa! Ainda que esta casa não seja minha.AL

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por AL às 01:02

Sexta-feira, 02.03.12

O fotógrafo acidental

[caption id="attachment_33522" align="aligncenter" width="487" caption="A hora da verdade por Gilbert Garcin"][/caption]Era um industrial de lâmpadas. Aos 65 anos descobriu a fotografia e nunca mais parou. Fotografias filosoficamente surreais, questionando o tempo, a solidão e o sentido da vida. Por modelos tem-se a si mesmo e a sua mulher. Tem hoje 93 anos, quatro livros publicados e inúmeros exposições internacionais. Uns dizem que burro velho não aprende línguas; Garcin (e eu), que nunca é tarde para se começar.[caption id="attachment_33523" align="aligncenter" width="700" caption="Ausencia por Gilbert Garcin"][/caption]AL

Autoria e outros dados (tags, etc)

por AL às 23:46

Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031