Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

maschamba



Terça-feira, 17.05.11

Hoje percebi ...

... que cada dia que passa estou mais parecida com o pai da Liberdade (se clicar na foto ela aumenta). 

AL (via CG)

Autoria e outros dados (tags, etc)

por AL às 03:52


26 comentários

De AL a 17.05.2011 às 10:45

LL e eu estou ca com uma cara, a infeliz!

De AL a 17.05.2011 às 23:41

Considerando tres decadas de ... minudencias, continuo a estar ca com uma cara, eu infeliz!

De jpt a 17.05.2011 às 11:45

Concordo que a frase foi infeliz. Já o disse aqui não estou seduzido por PPC (mas votaria no PSD liderado por Manuela Ferreira Leite, já agora). Mas fui ver a ligação e leio meia-dúzia de parvoíces: "Mas é africano porquê? Porque a mulher é africana? Porque tem uma filha africana? ''Casei com África''... Isso é uma hipocrisia, um paternalismo. Foi um mau princípio de conversa que Passos teve com a imigração", afirmou ao i Timóteo Macedo, presidente da Associação Solidariedade Imigrante. "Esta atitude tem sido a da sociedade portuguesa em relação às comunidades mais excluídas, uma atitude de feridas mal saradas do colonialismo que não tratam os cidadãos como iguais a si, porque se tratassem não tinham de dizer que a mulher nasceu em tal sítio", completa." - que parvoíce a do responsável da Associação. O facto de alguém ser casado com uma transmontana e dizer que é o mais transmontano do grupo à mesa porque tem uma mulher transmontana e uma filha transmontana e que por isso conhece região e problemas mais os problemas dos migrantes transmontanos em Lisboa (se é que ainda os há) faz dele um defensor encapuçado do centralismo do Terreiro do Paço, um defensor de D. João II, um jabobino irado, etc e tal?

Foi mal colocada a questão? Foi. PAra mais com poucos efeitos eleitorais como diz a reportagem. Mas francamente, não há melhor para dizer sobre o assunto?

De Lowlander a 18.05.2011 às 12:14

"Se você conseguir encontrar no nosso passado o desemprego que vamos ter, um endividamento como o que vamos ter, os juros que vamos ter de pagar, os politicos bons que precisamos e não temos, as mudanças que precisamos de fazer e muitos do nós não queremos, então vai ver que trata mesmo é o que temos vivido."

Sec. XIX, toda a serie de arranjos politico-economicos que culminaram na bancarrota de 1891.

De Pedro Silveira a 18.05.2011 às 11:49

Lowlander,

Lamento mas discordo em absoluto com o seu comentário.

Quem conhece o passado e percebe o que ele tem significado não precisa de estar sempre a referênciá-lo. O meu comentário não foi para esquecer-mos o passado.

o meu comentário está feito no sentido de manifestar que, na minha opinião, o que vem aí é muito pior do que o passado que temos tido.

Se você conseguir encontrar no nosso passado o desemprego que vamos ter, um endividamento como o que vamos ter, os juros que vamos ter de pagar, os politicos bons que precisamos e não temos, as mudanças que precisamos de fazer e muitos do nós não queremos, então vai ver que trata mesmo é o que temos vivido.

disso não tenha duvidas.

De Lowlander a 18.05.2011 às 11:16

"É melhor nesta fase olharmos para o futuro porque parece que do passado aprendemos pouco…."

Treta. So o pobres tolos ignoram o passado. Olhar simplesmente para o futuro nao passa de astrologia.
E vale muitissimo mais viver a vida mais ou menos certo do que rigorosamente errado.

Alias, (e aqui arrisco um pouco e faco uma assercao numa area onde tenho pouco pe e pouco conhecimento academico, digamos assim) penso que o maior pecado da nossa mentalidade portuguesa e precisamente esse apego atavico pelo "rigor" desta ou daquela figura que "faz coisas" , que "nunca se engana e raramente tem duvidas", que "sabe aquilo que quer", a busca pelo eterno "timoneiro da nacao" ou "rei revelado das brumas" ou, olhe, pelo "Obama de Massama" (o PSD nao permitiria a publicitacao de tal imbecil expressao senao pensasse que teria ressonancia no eleitorado)... apego pelos tretas carismaticos portanto...

Em vez de abracarmos a convivencia e o compromisso obtido em tabuleiros de jogos institucionais equilibrados, sempre dificil e inevitavelmente sujeito a duvida e conflicto, entre os diversos grupos de interesse no seio da sociedade.
La esta, preferimos viver em erro completo desde que proporcionado por figuras que nos apagam as duvidas. A historia nao perdoa tais atitudes.

De Lowlander a 18.05.2011 às 13:12

Mas toda esta discussao provavelmente nao tem cabimento neste post da AL. E ainda menos a esta hora do dia, sobrio.

De Lowlander a 17.05.2011 às 12:02

JPT,
As respostas a PPC estao precisamente ao nivel intelectual da declaracao original que ele faz. E ao mesmissimo nivel do "mimo" com que o tratam no seio do proprio partido que alegadamente o apoia, "mimo" que ele avaliza na sua propria biografia.
Nao ha melhor para dizer sobre o assunto? - pergunta o JPT - Nao, nao ha. O gajo e uma nodoa, e o partido em que existe, uma "cloaca maxima".
Nao se queixe do excesso de chuva e frio na metereologia o lavrador que ventos semeia.

AL,
Exacto.

De jpt a 17.05.2011 às 12:18

"Não hã melhor a dizer" referia-me a uma posição crítica sobre as declarações de PPC neste caso. E o presidente da Associação que aparece a protestar no jornal só diz asneiras. Perdendo pois uma boa altura para dizer algo interessante e particularmente visível.

Quanto ao "cloaca máxima" só se for ex aqueo, como aliás o Quino acima bem ilustra

De AL a 17.05.2011 às 16:27

O problema reside exactamente no ex aequo. E eu continuo a estar ca com uma cara, a infeliz!

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2011

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031